Alerta na pista: conheça as estradas mais perigosas pelo país

 

estradas perigosas capa

Pesquisa da CNT avalia a malha rodoviária e cita as estradas perigosas do Brasil

Não é de hoje que os caminhoneiros precisam encarar viagens longas e, em muitos casos, estradas perigosas devido às condições de manutenção de nossas rodovias. Mas, pelo visto, esta é uma realidade longe de mudar segundo dados da Pesquisa CNT de Rodovias 2016 que, a partir de uma análise de mais de 100 mil quilômetros de pista, traz um panorama da malha rodoviária brasileira e aponta os motivos pelos quais temos trechos tão arriscados.

Um dos primeiros pontos é a falta de infraestrutura em toda malha rodoviária nacional. Tanto é que, dos mais de 100 mil quilômetros analisados de pista, mais da metade apresenta problemas como buracos, curvas mal sinalizadas e falta de pavimentação.

Como resultado, as rodovias federais registraram mais de 120 mil acidentes em 2015, 37 mil deles envolvendo caminhões. Ao todo, eles custaram ao país quase R$ 12 bilhões. Além disso, quase 7 mil pessoas morreram nesses acidentes. A seguir, uma lista dessas estradas perigosas:

  • BR-101

Estradas perigosas BR-101

A rodovia federal possui dois trechos perigosos. O primeiro deles fica em Florianópolis e possui uma extensão de 10 quilômetros. Apesar de pequena, ela causa estragos: o trecho tem uma média de 46 acidentes por mês e teve, no ano passado, 15 mortes registradas.

Por se tratar de uma pista que passa dentro da capital catarinense, é uma pista que recebe diariamente 175 mil veículos. Isso, aliado a mais problemas como falta de atenção dos motoristas, são algumas das razões que explicam o perigo nesta pista. Já o segundo trecho da BR-101 para considera-la uma das estradas perigosas percorre parte do Espírito Santo.

  • BR-040

Estradas perigosas BR 040

É considerado o pior trecho em acidentes envolvendo caminhões. Não por acaso, o trecho dessa rodovia, mais especificamente o que passa por Minas Gerais, teve o maior número de mortes registradas nas rodovias federais no ano passado, com quase mil vítimas.

  • BR-135

estradas perigosas BR 135

Os 26 quilômetros de trecho que passa pelo estado maranhense é um dos mais temidos dos motoristas. Isso porque, só nos últimos três anos, foram quase 500 acidentes registrados e, entre eles, 19 com mortes.

  • BR-116

Estradas perigosas BR-101

A extensão da rodovia que passa pelo sul de Curitiba foi responsável por colocar o estado em terceiro lugar no índice de mortes nas estradas no ano passado. Dentre os acidentes mais comuns, estão os tombamentos de caminhões provocados, principalmente, por ultrapassagens indevidas e falta de atenção por parte dos motoristas.

  •  BR-158

 O trecho que passa pela cidade de Estância, no sudeste de Goiás, requer do motorista muita atenção: buracos e pista de terra são só alguns dos motivos que as tornam uma das estradas perigosas da lista. Inclusive, a extensão que vai de Piranhas a Jataí é considerada, pela Confederação Nacional do Transporte, como a terceira pior do país.

estradas perigosas BR 158
 

  • BR-418

O trecho que passa por Teófilo Otonio, em Minas Gerais também ficou entre os piores, de acordo com a CNT. Além das más condições das pistas, existe outro agravante: famílias que vivem nas proximidades de suas curvas, que resulta em acidentes envolvendo pedestres.

Estradas perigosas BR 418

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Outros riscos

Além das condições das pistas, o roubo de carga é mais um risco enfrentado pelos caminhoneiros em estradas perigosas. De acordo com um levantamento também da CNT, o país registrou em 2015 quase 20 mil roubos, 10% a mais que há dois anos. Essas ocorrências contabilizam, ao todo, um rombo de R$1,12 bilhão às empresas transportadoras. O Sudeste é o estado com maior número de casos, concentrando 85,7% dos casos.

E você, caminhoneiro, conhece outras estradas perigosas? Envie sua foto ou mensagem para atualizar esta lista.

Referências
Confederação Nacional do Transporte, Pesquisa CNT de Rodovias 2016. http://pesquisarodovias.cnt.org.br/. Acesso em 29 de novembro de 2016.

Confederação Nacional do Transporte, Sondagem Expectativas Econômicas do Transportador 2016 http://www.cnt.org.br/Imprensa/noticia/crise-afeta-setor-de-transporte-mas-ha-otimismo-moderado-para-2017. Acesso em 29 de novembro de 2016.

 

Fonte: http://revistacaminhoneiro.grupott.com.br/alerta-na-pista-por-que-temos-estradas-tao-perigosas-pelo-pais/